Notícias



A participação dos trabalhadores formais da construção pesada no Rio de Janeiro, no total de empregos do Estado, caiu pela metade nos últimos cinco anos. Em agosto de 2014, representavam 3,35% dos empregos e em agosto último, este percentual caiu para 1,56%.

O levantamento feito pela AEERJ, com base nos dados do CAGED/MTE, sobre o comportamento do emprego formal na construção pesada, mostrou que o Estado do Rio de Janeiro foi o que apresentou o pior resultado entre os estados do sudeste. Em relação a agosto de 2014, houve uma redução de 59,3% dos empregos no setor da construção pesada, enquanto em Minas Gerais e Espírito Santo ficaram na casa dos 24%. A partir de 2018, o setor começou a apresentar resultados positivos. Em 2019, a construção pesada no Estado do Rio contratou 2.683 novos trabalhadores com carteira assinada (+4,4%), enquanto em Minas Gerais, foram mais 14.623 empregos criados nestes oito meses (+15,8%).

Na análise do total de empregos formais, o Rio de Janeiro também é, na Região Sudeste, o estado que mais registrou demissões nestes últimos cinco anos (-12,6%) e o que menos se recuperou até o momento (+04%). Clique aqui e veja o estudo completo.

  • Oportunidade de estágio - Engenharia civil
  • DER-RJ divulga CO - Pavimentação e drenagem
  • Feriado da construção civil: expediente AEERJ
  • Rio-Águas tem novo presidente



Facebook



 
00:00:03 Alterar a senha | , sair Valid XHTML 1.0 Transitional